Áreas de instabilidade que agora estão sobre a província argentina de Corrientes, ganhando força, vão se intensificar ainda mais e avançar durante este sábado para o Rio Grande do Sul, advertem os meteorologistas da MetSul. A MetSul Meteorologia mantém o alerta que fez ao longo de grande parte da semana nas mídias impressa e eletrônica sobre chuva forte a intensa e o risco de temporais isolados no final da sexta no Oeste e durante o sábado na maioria das regiões gaúchas. Os volumes de precipitação podem ser localmente muito elevados com valores de 50 a 100 mm em poucas horas. Os modelos divergem sobre o posicionamento da chuva mais forte no território gaúcho, mas vários coincidem em indicar numa faixa ao redor do paralelo 30ºS do Oeste até o Leste do Estado, ou seja, afetando o Oeste e o Centro do Rio Grande do Sul. Nestas regiões estão Itaqui, Alegrete, Santa Maria, Santa Cruz do Sul e a área de Porto Alegre. Não se exclui, contudo, chuva forte em outras regiões.

A chuva deste sábado pode ser tanto uma má notícia como uma boa notícia se vier a se mostrar mesmo forte a intensa. Má porque aumenta o risco de transtornos para a população como alagamentos. Boa porque há várias cidades do Estado precisando não apenas de chuva, mas muita chuva. Muito se tem falado da grave situação em Erechim, onde se raciona água, mas existem outras regiões também sob enorme déficit hídrico. Aqui no Centro do Estado, por exemplo, há mananciais de água que secaram todo em Santa Cruz do Sul (imagem abaixo de reprodução do Correio do Povo em Erechim e foto de Rodrigo Assmann da Gazeta do Sul em Santa Cruz do Sul).


Segundo o meteorologista Luiz Fernando Nachtigall, a instabilidade deve cruzar rapidamente pelo Estado e já neste sábado áreas do Sul e do Oeste podem apresentar melhoria do tempo até o final do dia. No domingo, o tempo melhora em grande parte do Rio Grande do Sul, mas parte do período ainda pode ter instabilidade em pontos das Metades Norte e Leste.