Anúncios

A chuva abaixo da média desta época do ano em algumas regiões do Rio Grande do Sul, notadamente na Metade Norte, já começa a afetar a agricultura gaúcha. A soja, principal cultura, ainda não teve o encerramento do plantio em Ijuí e região, justamente por falta de umidade no solo. Além disso, em algumas lavouras poderá ser necessário replantio, visto que não houve germinação dos grãos ou a oleagionosa sofre muito com o calor. Outro problema acontece no milho, no momento em formação de grãos. Perdas no rendimento já existem, porém ainda não podem ser dimensionadas. Outros pontos do Noroeste do Estado também já começam a registrar perda de produtividade na cultura de milho. É justamente a região de Ijuí que concentra hoje os menores índices de umidade no solo (ver mapa abaixo). A perspectiva para o restante do mês é de chuva acima da média na Metade Norte, principal áreas produtora de soja e milho no Estado, mas as precipitações seguirão apresentando grande variabilidade de volume de um ponto para o outro.



Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas


Na Metade Oeste do Rio Grande do Sul, entretanto, as últimas horas tiveram volumes de chuva generosos em muitos locais. Choveu na maioria das cidades e forte em várias. Os acumulados, em média, variaram ontem entre 25 mm e 50 mm nas estações do Instituto Nacional de Meteorologia, mas houve volumes de 70 mm em São Luiz Gonzaga e São Borja, e de 65 mm em Alegrete. Em São Luiz Gonzaga, a chuva somou 37,6 mm em somente uma hora. O tempo é instável hoje no Estado, mas começa a melhorar amanhã. A perspectiva para o restante do mês é de chuva acima da média na maioria das regiões com acumulados altos em muitos pontos da Metade Norte, principal áreas produtora de soja e milho no Estado. Apesar disso, as precipitações seguirão apresentando uma grande variabilidade de volume de um ponto para o outro. Precipitações localmente excessivas podem ser até prejudiciais ao arroz no Oeste.

Anúncios