Prefeitura de Feliz

A chuva foi excepcional entre terça e ontem em muitos municípios da Metade Norte e com marcas históricas, o que explica a gravidade das enchentes, as maiores em décadas em algumas localidades. Quase toda a Metade Norte teve mais de 100 mm com índices de 200 mm a 250 mm em alguns municípios. 

Em Porto Alegre, a chuva em 24h na estação do Jardim Botânico foi de 109,9 mm até 9h de ontem. Os acumulados em 24h, por convenção, são calculados entre 9h de um dia e 9h do outro. Foi a maior altura em 24h em julho na estatística oficial da Capital desde que começaram as medições em 1910. 

Para qualquer mês do ano, o maior volume em 24h em Porto Alegre no período 1910-1948 foi 145 mm em 15/1/1940. Na série 1931-1960, 141,2 mm em 4/4/1956. Na série 1961-1990, 138,8 mm em 15/6/82. O recorde de maior volume em Porto Alegre em 24h é de 149,6 mm em 3/5/2008, em um ciclone extratropical, mesmo fenômeno de agora. 


Em julho, até ontem, o mais alto índice em 24h na Capital era de 95,5 mm em 4/7/2014. Apesar do registro de 109,9 mm em 24h no Jardim Botânico, do começo da chuva às 2h de terça até ontem à noite, choveu até 145 mm em alguns bairros de Porto Alegre, caso de Belém Velho. 

Já em Caxias do Sul, onde choveu em 24h até 9h de ontem 126 mm, foi o maior volume diário em julho ao menos desde 1930. Na série 1931-1960, o maior registro em 24h em julho foi de 80,8 em 16/7/1940. Na 1961-2019, o máximo em 24h em julho foi 118,3 mm em 29/7/1980. 

Em Bom Jesus, onde o dado foi de 136 mm em 24h, a MetSul não encontrou registro maior em julho desde 1961.