Anúncios

O sábado foi chuvoso e frio em grande parte do  Sul do Brasil.  Cenário antecipado pela MetSul se confirmou e a chuva ocorreu em grande quantidade, sobretudo,  em pontos do Sul  e Leste do Paraná, Norte do Rio Grande do Sul e de forma mais intensa e com transtornos na faixa Leste de Santa Catarina. Nesse interim no Paraná segundo registro das estações do Centro de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (CEMADEN) nas últimas 24 horas choveu Coronel  74 mm em Coronel Vivida, 72 mm em Francisco Beltrão, 71 mm em Pato Branco, 64  mm em Guarapuava, 63 mm em Irati, 53 mm em Foz do Iguaçu e 50 mm em Curitiba.  O Instituto Nacional de Meteorologia registrou 59 mm em Inácio Martins, 58 mm em Clevelândia, 48 mm em Morretes, 42 mm em Ivaí e 40 mm em Colombo.

Simultaneamente em Santa Catarina os volumes foram altos e perto da média histórica do mês de junho  em menos de 24 horas. Segundo dados registrados pelo pluviômetros do CEMADEN choveu  10 mm em Governador Celso Ramos, 99 mm em Florianópolis e em Palhoça, 93 mm em Tijucas, 91 mm em Itajaí, 87 mm em Bombinhas, 74 mm em Camboriú  e 71 mm em Garopaba. O grande volume de chuva trouxe transtornos novamente para várias cidades de Santa Catarina. Na Região Metropolitana de Florianópolis e Camboriú foram registrados vários alagamentos e algumas ruas precisaram ser interditadas. O INMET registrou 63 mm em Bom Jardim da Serra, 71 mm em Rancho Queimado e 53 mm em Dionísio Cerqueira.


Nesse meio tempo no Rio Grande do Sul os maiores acumulados ocorrem na faixa Norte com acumulados expressivos. Segundo  dados do CEMADEN choveu 51 mm em Iraí, 44 mm em Ijuí, 43 mm em Erehim, 38 mm em Santa Rosa e 30 mm em Vacaria.

Nas próximas horas a instabilidade segue

A imagem de satélite mostra que o aglomerado de nuvens carregadas que hoje cruzou o Sul do país de Oeste a Leste e provocou o aguaceiro já está sobre o mar. Por outro lado, é possível observar a presença de nuvens com potencial de chuva em boa parte da faixa litorânea.  No Oeste da região, as nuvens estão presentes, porém sem potencial gerar chuva.


Modelo wrf de alta resolução mantém o risco de chuva, ou seja, a  instabilidade irá se manter muito próximo a Costa e nas próximas horas pancadas de chuva ainda irão afetar toda a faixa litorânea, bem como trechos de Serra e também pontos do Vale do Itajaí. Em outras palavras, não se descarta eventuais pancadas de chuva moderadas a fortes de forma isolada. Modelos projetam que o potencial de chuva segue pelo menos até a primeira metade deste domingo na região. De antemão é importante destacar que o cenário é vulnerável no Leste da região e o solo está encharcado e mais chuva representa risco ainda de transtornos especialmente em Santa Catarina.

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas

Anúncios