NOAA

O boletim divulgado ontem pela Administração Nacional de Oceanos e Atmosfera dos Estados Unidos (NOAA) indicou a continuidade das condições de neutralidade na área equatorial do Oceano Pacífico.

A anomalia de temperatura da superfície do mar na denominada região Niño 3.4, no Pacífico Equatorial Central, ficou em -0,4ºC. O valor está em patamar de neutralidade, mas agora negativa. É o valor mais baixo da região Niño 3.4 (5° S – 5 °N d e 170° W – 120°W) desde a semana de 11 de abril de 2018. Por sua vez, a região Niño 1+2, no Pacífico Equatorial Leste, mais perto da América do Sul, apresentou anomalia de -0,1°C.

Até o inverno, a tendência é que o Pacífico se mantenha em neutralidade. Os modelos de clima se dividem quanto ao segundo semestre. Alguns modelos dinâmicos estão a indicar a possibilidade de episódio de La Niña com resfriamento das águas superficiais. Já os modelos estatísticos indicam a persistência da neutralidade, a despeito das águas mais frias.

As anomalias de temperatura abaixo da superfície do mar indicam uma enorme piscina de águas mais frias do que a média de Oeste a Leste no Pacífico, indicando uma tendência de resfriamento adicional das águas superficiais e de aumento da probabilidade de La Niña. 

Recordamos que o período de março a junho é conhecido como de barreira de previsibilidade em que a performance dos modelos de clima de longo prazo é menor.

Por isso, cenários hoje esboçados pelas simulações computadorizadas são vistos com maior cautela pelos profissionais da Meteorologia. Em direção ao fim do outono, o cenário fica mais claro.