Anúncios

Várias regiões gaúchas amanheceram com temperatura abaixo de zero nesta quinta-feira à medida que ar muito gelado de origem polar toma conta do Estado. Fez 4ºC negativos na região de Soledade e a Grande Porto Alegre amanheceu com 1ºC. Geou em um grande número de municípios gaúchos, inclusive em áreas abertas nos bairros mais centrais de Porto Alegre. Nos Campos de Cima da Serra, houve congelamento. A MetSul Meteorologia alerta o frio deve se intensificar ainda mais e que o auge da onda de frio deve ocorrer nesta sexta-feira e durante o fim de semana.

Geada em Soledade no amanhecer de hoje (Paulo Henrique Pinheiro)

Filetes de gelo no solo hoje em Cambará do Sul (PNAS/PNSG)

Uma verdadeira “bolha” de ar extremamente frio vai passar pelo Rio Grande do Sul entre esta sexta-feira e o sábado. Nas massas de ar polar de forte intensidade, a temperatura no nível de 850 hPa (altitude de 1500 metros), parâmetro utilizado pelos meteorologistas pra avaliar a intensidade do ar frio, costuma ficar ao redor de -2ºC a -3ºC. Modelos indicam para esta sexta temperatura em 850 hPa de até -4ºC a -5ºC, sinalizando que se trata de uma massa de ar polar muito intensa. Todos os anos há ao menos um evento de frio mais intenso, mas não é em todos os anos que a temperatura no nível de 850 hPa alcança quase -5ºC no Estado.


Outro parâmetro utilizado na Meteorologia pra avaliar a potência do frio são os chamados espessores. A espessura da camada entre 1000 hPa (perto da superfície) e 500 hPa (ao redor de 5 mil metros de alitude). Normalmente, nas ondas de frio fortes, a espessura geopotencial no Rio Grande do Sul ficam ao redor de 5400 mgp.

No caso desta onda polar, os modelos indicam a possibilidade de 5150 a 5200 mgp no Estado nesta sexta. São valores excepcionalmente baixos, se pode dizer incomuns pra nossa região, e que são vistos em regra no inverno na Terra do Fogo e perto das regiões polares. Isso indica que o ar estará extremamente gelado nesta sexta-feira sobre o Rio Grande do Sul.

Modelos numéricos indicam que um centro de baixa pressão deve atuar na costa gaúcha ao longo da sexta-feira. Valores de espessura abaixo de 5200 mgp costumam induzir alguma instabilidade e até convecção, e ainda com a presença de uma baixa costeira, logo a possibilidade de precipitação invernal no Rio Grande do Sul e parte de Santa Catarina é alta nesta sexta e no começo do sábado.

Havia um consenso entre os modelos numéricos no começo da semana sobre a ocorrência de neve, mas hoje não existe. Enfatizamos o cenário complexo de previsão em que alguns modelos projetam instabilidade para as áreas de Serra do Nordeste gaúcho e outros estão a indicar que a atmosfera permaneceria seca sem possibilidade de precipitação.

Devido ao centro de baixa e ao avanço da “bolha” de ar gelado se espera aumento de nuvens no Rio Grande do Sul nesta sexta.

No começo do dia abre-se a primeira “janela” pra precipitação invernal com a formação de uma banda de nebulosidade do Centro pro Norte do Estado na madrugada, depois limpando o tempo. Modelos em geral não indicam precipitação com essas nuvens na Metade Norte no começo do dia, mas não descartamos pelo gradiente térmico.

Vários modelos indicam que o tempo se instabilizaria no Extremo Sul gaúcho ainda durante a manhã com precipitação avançando pelo Leste do Estado, passado por parte da Campanha, Serra do Sudeste, região de Pelotas e Lagoa dos Patos. Ao chegar na área de Porto Alegre e da Serra do Nordeste, algumas projeções por computador indicam que a instabilidade se dissiparia e outras apontam que seguiria avançando pela Serra, Aparados, Litoral Norte e Planalto Sul Catarinense. Por isso, a discrepância entre as simulações computadorizadas quanto à chance de nevar no Nordeste do Estado. Um cenário possível, havendo o fenômeno, é a ocorrência de pancadas isoladas de neve associadas a nuvens mais desenvolvidas.

Com base nas simulações que indicam a possibilidade de neve, a área de chance alta inclui a parte mais Leste da Serra Gaúcha (regiões de Caxias do Sul, Gramado, Riozinho, Rolante e Canela), toda a região dos Campos de Cima da Serra (São Francisco de Paula, Cambará do Sul, São José dos Ausentes, Bom Jesus, Vacaria, Jaquirana e Monte Alegre dos Campos), e a maior parte do Planalto Sul Catarinense. A área de chance média inclui a parte mais Oeste da Serra Gaúcha e localidades em cotas de altitude entre 400 e 700 metros da região, além de municípios mais a Leste do Alto Uruguai. Ainda, compreende o Meio-Oeste de Santa Catarina, da Campanha e da Serra do Sudeste. A área de chance baixa inclui o Médio Uruguai.

Se ocorrer precipitação na Serra e Aparados, a probabilidade de nevar é maior à noite e na madrugada de sábado. Detalhe importante é que a temperatura estará negativa nestes horários. Quanto mais frio, caindo neve, maior a chance de ter acumulação. Isso porque a temperatura influencia a densidade da neve, logo 1 mm de precipitação líquida traz maior acumulação com -3ºC ou -4ºC que com 0ºC ou 1ºC. E, como não terá chovido antes e o perfil da atmosfera perto da superfície não estará muito úmido, registrando-se alguma precipitação mesmo pequena pode ocorrer alguma acumulação.

Áreas não indicadas no mapa na Metade Leste do Rio Grande do Sul situadas abaixo de 400 metros de altitude, podem ter registros ocasionais de precipitação invernal na forma de chuva congelada (gotículas congeladas) ou em menor chance graupel (pequenos grânulos de neve). Uma região deve ser de particular interesse. A atmosfera vai estar excepcionalmente fria (espessura abaixo de 5200 mgp) no Sul do Estado e quase todos os modelos indicam precipitação para as áreas do Chuí, Santa Vitória do Palmar, Pelotas, Rio Grande e arredores. Com precipitação e a atmosfera tão excepcional fria, não se pode descartar algumas ocorrências que podem surpreender em termos de precipitação invernal nestas regiões, a despeito de estarem quase ao nível do mar.

Ao menos até terça ou quarta da semana que vem são esperadas marcas abaixo de zero no Rio Grande do Sul. As madrugadas desta sexta, do sábado e do domingo, em especial, devem ser as mais frias na maioria dos municípios com marcas perto ou inferiores aos 5ºC negativos.

À medida que o tempo abre com vento mais calmo e um centro de alta pressão atua sobre o Sul do Brasil no fim de semana, a madrugada de domingo deve ser a mais gélida desta onda de frio com mínimas negativas em mais de 90% dos municípios gaúchos e na maioria das localidades do Sul do Brasil. Marcas de -1ºC a -3ºC devem ser observadas na maior parte das cidades gaúchas no começo do domingo, mas em áreas de relevo as mínimas serão ainda mais baixas. Baixadas da Metade Norte, como na área de Soledade, na Serra e Aparados, podem ter -6ºC a -8ºC, não se afastando até alguma marca isolada em torno de -9ºC. Porto Alegre deve ter 0ºC a 2ºC na maioria dos bairros enquanto na região metropolitana mínimas de -1ºC a 0ºC devem ser observadas em vários pontos. No Planalto Sul Catarinense, as mínimas mais baixas devem ficar em tornos dos 10ºC abaixo de zero.

Sob esse cenário deve ser esperado congelamento em muitas cidades nas madrugadas, em especial do domingo. A geada será ampla, mas na sexta e no sábado nuvens e vento podem prejudicar a formação de geada em algumas localidades do Sul e do Leste do Rio Grande do Sul. No domingo, a geada será generalizada no Sul do Brasil, devendo ser forte em muitos locais e até severa em alguns. Vai gear em bairros centrais de Porto Alegre e talvez até nas praias do Litoral Norte possa se formar.  A geada do domingo na Serra e Aparados será tão intensa que em algumas áreas de sombra pode mesmo não derreter durante o dia.


Por fim, o vento será um fator importante também na percepção de frio. Hoje pode soprar moderado em algumas regiões à noite e será moderado a forte por vezes no Sul e no Leste do Estado nesta sexta e no começo do sábado. Por isso, a sexta-feira, além da temperatura muito baixa, deve ter também sensação térmica baixíssima e abaixo de zero principalmente nas localidades serranas.

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas

 

Anúncios